20 de fev de 2011

[RESULTADO] Promoção: Beijada por um Anjo 2

Olá galera! Como vocês já devem ter reparado o blog está muito, mas muito desatualizado. Quero pedir desculpas a todos os leitores que se lembram daqui e dão uma passadinha rápida para ver as novidades e atualizações. Vocês são demais! O meu PC que eu usava para postar no blog me deu um ‘cano’ aqui, se é que me entendem e todos os recursos que eu utilizava para postar só estão nele. Prezo pela qualidade e não vou querer atualizar o blog do pior jeito possível – espero que entendam.

Bem, estou postando hoje de um modo extraordinário devido ao fim da promoção “Beijada por um Anjo 2. Foram mais de 800 participações (maior do blog até hoje). Se eu pudesse, presentearia todos que participaram, mas infelizmente apenas 2 leitores vão receber o kit (o que normalmente é só um). Quero agradecer a editora Novo Conceito por disponibilizar os livros para sorteio e também a todos que participaram; lembrando que mais promoções vem por aí e muito em breve! Vocês vão adorar os prêmios, então fiquem ligados. Vamos aos vencedores:


PARABÉNS ANA CAROLINA CAVOLI!


PARABÉNS SANÉLIA NASCIMENTO!

Vocês receberão um e-mail conformando o endereço, certo?

Caso não tenha resposta em três (3) dias será realizado um novo sorteio.

Até breve, galera!

11 de fev de 2011

Qual é a boa de sexta? #2

Sexta chegou, mas você ainda não sabe qual é “a boa”?  Aqui no Booking Books todas as sextas eu dou dicas, humildemente, bem bacanas do que curtir não só na sexta, mas no fim de semana; pode ser que você se identifique!



O RITUAL (Suspense | 112 min | 14 anos)

Quem não gosta de um bom suspense não é verdade? Eu gosto muito, mas, por favor, deixe as luzes acesas! O Ritual, conta a história de um jovem padre dos EUA que vai ao Vaticano estudar... Exorcismos! Ficou com medo? Relaxa o filme não tem imagens fortes e foge do estilo “O Exorcista” – nada de vômitos e cabeças girando, ok? O diferencial do filme é a realidade nas cenas, mas nada ao estilo Hollywood. Não se convenceu? Anthony Hopkins e Alice Braga (nossa it girl brasileira) estão no elenco! Nos cinemas.

TROPA DE ELITE 2 (Ação/Drama | 116 min | 16 anos)

Já está nas locadoras o filme brasileiro de maior bilheteria de todos os tempos, esgotando sessões e ficando por meses em cartaz. Tropa 2 vem com tudo e se você ainda não assistiu (o que é meio difícil, já que mais de 10 milhões de pessoas já conferiram) aproveite para ver Wagner Moura novamente na pele do famoso Capitão Nascimento. O filme se passa 10 anos depois do primeiro, relatando a corrupção da política em aliança com os bandidos. O inimigo agora é outro; a guerra é interna e alguém quem que cortar o mal pela raiz. Recomendo. Em DVD e Blu-Ray.






WAKE: DESPERTAR (Lisa McMann | 205 páginas | Novo Século)

É um livro curtinho e bem interessante de ler. Wake foi lançado ano passado e muita gente curtiu – mas assim, é um livro ame ou odeie, entende? Opiniões bem contraditórias tomaram conta da blogosfera ano passado com o seu lançamento no Brasil e me fizeram comprar o livro. Bem, isso aqui não é uma resenha, mas eu não sou muito fã do estilo da autora, mas a história é bacana. Próximo a ser adaptado ao cinema com Miley Cyrus no elenco, Wake faz parte de uma trilogia, junto com Fade e Gone. Janie consegue entrar nos sonhos das pessoas... Ficou curioso?


Cinema, filme sem casa, livro. Gostaram? Dêem dicas pro post se quiserem ok? Tudo será bem vindo. E caso aceitem as dicas, voltem aqui e contem a sua experiência nos comentários!


10 de fev de 2011

Conheça: Devoção, da Novo Conceito

A Editora Novo Conceito está prometendo um ótimo ano para nós, fãs de livros “Jovem Adulto”; mas não se esquecendo de suas raízes está lançando este mês um livro diferente e interessante, chamado Devoção, de Dicky Hoyt e Don Yaeger. Uma história de superação, quebra de limites e amor, é uma dica para quem ainda não é muito fã do gênero. Lembre-se: os livros são transformadores. Vamos conhecer a sinopse:

Nascido com uma tetraplegia espasmódica, Rick Hoyt foi desenganado por vários médicos, que aconselharam seus pais, Judy e Dick Hoyt, a internar seu primogênito em uma clínica. Mas os pais de Rick recusaram-se a tomar essa medida. Determinados a dar ao filho todas as oportunidades oferecidas a uma criança considerada “normal”, incluíam Rick em tudo que faziam, especialmente com os outros dois irmãos, Rob e Russ. 
Mas uma coisa é dentro do seu lar, o vasto mundo é outra coisa. Depois de repetidas recusas por diretores de escola que resistiam às suas tentativas de matricular o garoto, a mãe de Rick trabalhou incansavelmente para fazer passar um projeto de lei, Capítulo 766, a primeira reforma na educação especial no país. Como resultado, Rick e outras crianças com deficiências físicas puderam frequentar as escolas públicas de Massachusetts. 
Mas como Rick se comunicaria se não conseguia falar? Para superar esse obstáculo assustador, Dick e Judy Hoyt trabalharam com o Dr. William Crochetiere, e com o presidente do departamento de engenharia da Universidade de Tufts, bem como vários alunos empreendedores, incluindo Rick Foulds, na criação do dispositivo de Comunicação Interativa da Universidade de Tufts. Entre os aparatos domésticos da família Hoyt, ele ficou conhecido como a “Máquina da Esperança”, pois faria com que Rick pudesse criar frases pressionando a cabeça contra uma barra de metal. Pela primeira vez na vida, Rick conseguiu se comunicar. 
Então, um dia, Rick pediu a seu pai para participar de uma corrida beneficente, mas havia um porém, Rick também queria correr. Dick nunca havia participado de uma corrida antes, mas o maior desafio estava no fato de ter de empurrar a cadeira de rodas de seu filho ao mesmo tempo. Contudo, uma vez mais, a família Hoyt estava determinada a superar qualquer obstáculo que pudesse impedir sua caminhada. 
Agora, depois de mais de 1.000 corridas, incluindo inúmeras maratonas e triatlos, Dick Hoyt continua a empurrar a cadeira de rodas de Rick. Conhecidos em todo o mundo e carinhosamente chamados de a Equipe Hoyt, permanecem cada vez mais dedicados, inspirando milhões e incorporando em todo o seu lema e marca registrada: “Yes, you can!” (Sim, você pode!)

Em breve resenha, galera! Fique ligado aqui no blog!

8 de fev de 2011

Adaptação de "Wake" nos cinemas


A autora da saga “Wake”, Lisa McMann, anunciou no ano passado que o primeiro livro da trilogia seria adaptado para os cinemas em 2012 pela Paramout/MTV Films. Depois de muita especulação, temos algo concreto. A MTV americana confirmou em seu site oficial que a atriz Miley Cyrus será a protagonista do suspense, Janie e que as 
filmagens começarão em breve e ainda esse ano. Veja o que a autora da obra comentou sobre a escolha:

“Se você me conhece, sabe que eu acho que todo adolescente merece a chance de ser surpreendente. Esta regra vale para os adolescentes famosos também. Eu acho que vai ser incrível se Miley fizer o filme WAKE”. – Lisa McMann

(fonte: MCyrus.com)

E aí? O que você achou da escolha? Deixe sua opinião aqui no blog! =)

6 de fev de 2011

A Paranóia dos Blogueiros

Bem galera, esse post infelizmente vai ser diferente do que vocês estão acostumados a ver aqui no blog. Há muito, muito tempo eu venho pensando nesse assunto – refletindo; tirando minhas próprias conclusões; tentando entender – e agora resolvi falar um pouquinho com vocês sobre isso. Estou falando da certa “paranóia” que de alguns meses para cá vem aparecendo muito como focos de incêndio na “mata atlântica literária”, digamos assim. Estou falando do caso: blogueiros e parcerias.

Bem, como muitos já sabem a parceria entre uma editora e um blog é sempre interessante tanto pro blogueiro, como para a editora e, claro, para os leitores de um modo geral. Ter resenhas fresquinhas toda semana, apontando pontos negativos e positivos de cada lançamento literário é sempre um ponto a mais para o consumidor de livros e claro, dá credibilidade ao blog. É meio que um ‘mapa do tesouro’: as resenhas lhe abrem os olhos para o que você pode esperar de um determinado livro; daí você decide se vai ler ou não, dependendo do que achar da resenha. Mas nos últimos meses, muitos blogs banalizaram essa prática, tornando a parceria como a única meta a ser alcançada, deixando de lado o prazer de informar, comentar e debater sobre os livros no blog – somente para satisfazer o próprio ego.
...
Quem não gosta de receber um presente, hein? Bem, eu gosto muito e tenho certeza de que você leitor, também. Quem gosta de livros? Eu gosto e se você está aqui no blog lendo esse post no mínimo se interessa pelo mundo literário e suas novidades – e com certeza gostaria de receber um livro de graça. Mas as parcerias não se tratam disso. Elas existem para que o consumidor – você, leitor – conheça o livro e saiba detalhes em primeira mão através da visão de um leitor comum, que no caso quem faz o papel desse leitor é o próprio blogueiro. Ele vai dizer se gostou ou não do livro e dá dicas para quem lê a resenha da obra. Esse é o real sentido das parcerias. Não é vender o ‘peixe’; é deixar que todos pesquem o seu e crie uma opinião sobre o determinado livro em destaque. Se você vai criar (ou infelizmente já criou) um blog somente com a finalidade de receber ‘presentes’; pode saber que você não está contribuindo em nada com a sociedade literária, muito menos com os leitores. E para as editoras: se vocês pensam que doar os livros para os blogueiros é o mesmo que comprar boas resenhas, garantindo lucro nas vendas; estão agindo de má fé. Não criamos o blog para vender opiniões; e sim para dar opiniões.

Criei esse post mais como um desabafo. É muito triste ver em vários blogs o apelo exacerbado e comercial dos livros, fazendo da página mais uma feira livre de promoções e parcerias e deixando de lado o real motivo da existência do blog: a leitura e o compartilhamento de pensamentos. Bem, eu penso assim. É a minha opinião. E espero não ser processado por ninguém...

5 de fev de 2011

[RESENHA] Instintos Cruéis (Carrie Jones)

Sabe aquela sensação de quero mais? De que a história estava empolgante e divertida e num um piscar de olhos você está na última página? Bem, isso foi o que eu sentir ao terminar de ler Instintos Cruéis, de Carrie Jones. Um livro que tive a oportunidade de ler graças ao book tour da Editora Underworld, que por sinal está de parabéns com a tradução, a arte do livro e os gráficos nas páginas.

O título e a capa do livro dão um ar de suspense para a trama, que claramente combina com a história que, por sinal é bem criativa e original. Cansado de temas sobrenaturais que apenas envolvem vampiros, anjos ou lobisomens? Aqui você encontra uma nova ‘classe’, digamos assim, de seres fantásticos: os pixies. Bem, eu não sabia absolutamente nada de pixies, mas a autora Carrie Jones explica aos poucos o que são eles, sua mitologia, entre outras curiosidades – e isso é uma coisa que eu admiro muito na literatura fantástica. Bem, no livro conhecemos Zara, uma jovem de 16 anos que acabara de perder seu padrasto, vítima de um ataque do coração, e está perdida em seu mundo particular e depressivo das fobias. Sua mãe resolve enviá-la para a casa de sua avó adotiva, no Maine. Gelado e silencioso; um típico local perfeito para um filme de terror, ou quem sabe para refletir sobre si mesma e tentar recarregar as baterias depois de um drama tão intenso. Lá, Zara tem a sensação de que está sendo perseguida e vigiada por alguém o qual ela não consegue identificar; e isso a deixa muito intrigada. Faz amizades (e inimigos) logo no primeiro dia de aula na nova escola, destacando-se nos esportes e até com os garotos. Bem, o que ela não sabe – ainda – é que o Maine não é, digamos assim, normal. Todos que a cercam por lá têm seus segredos, incluindo até a sua avó. Cabe a ela lidar com essas descobertas e enigmas cada vez mais assustadores.

A escrita da autora é muito agradável e bem objetiva. Carrie consegue explicar sem rodeios sensações das mais diversas possíveis em poucas linhas, e isso para um suspense é super válido, tornando a leitura dinâmica e envolvente. O livro é em 1° pessoa, pela visão de Zara; portanto relaxe de você sentir falta de descrições dos personagens (isso me incomodou muito no início, principalmente em relação aos pixies que eu não fazia idéia de como seriam – pesquisei até na internet, mas isso é uma surpresa que somente nas últimas páginas é revelado então: fique esperto). Zara é uma personagem carismática e não é daquelas que você tem vontade de bater por fazer besteiras ou coisas do tipo: cada atitude tem seu motivo e você é convencido a reconhecer de que suas ações são lógicas, mesmo que estranhas a princípio. A única coisa que não gostei foi que a cada revelação bombástica para qualquer humano 'normal', Zara ficava calma, como se nada tivesse acontecido e poxa, se eu me colocasse no lugar dela seria uma novela mexicana, entende – ela age com uma natureza fria, não muito convincente. Tirando isso, Instintos Cruéis passou pela minha aprovação com um sorriso. É jovem, divertido e diferente; uma agradável leitura de fim de semana.


4 de fev de 2011

Qual é a boa de sexta? #1

Oi gente, qual é a boa? Bem, “Qual é a boa de Sexta?” vai funcionar assim: toda sexta-feira eu vou postar no blog algumas dicas do que fazer nesse dia, como dicas de filmes, lançamentos de DVD/Bluray, algum evento em cidades específicas (quando possível) entre outras coisas. É um espaço onde você leitor também pode dar a sua dica, basta ir aos comentários e falar o que você vai fazer nessa sexta, certo? Bem, pra começar eu tenho dica de cinema e o que acabou de chegar nas locadoras.





CISNE NEGRO (Suspense | 108 min | de Darren Aronofsky)

Indicado a cinco Oscar, vários prêmios na bagagem, um trailer intringante e convincente e Natalie Portman. Esses foram os motivos para Cisne Negro estar na minha lista de Qual é a Boa de Sexta. O filme estréia hoje no Brasil (atrasadinho, pois é de 2010) já com aquele ar de Academy Awards. No filme, Natalie Portman é uma bailarina de Nova York em busca de reconhecimento no papel principal de “A Rainha dos Cisnes”, mas acaba disputando o palco com Mila Kunis, gerando um thriller psicológico cheio de intriga e comeptição.

ELA É DEMAIS PARA MIM (Comédia | 104 min | de Jim Feld)

Nada mais de divertido do que assistir a uma comédia em plena sexta-feira em casa, já que não quer (ou não pode!) sairé de casa. Minha dica é Ela é Demais para Mim; um filme no estilo “american pie”, porém mais leve. O filme conta a história de Kirk, um rapaz com problemas para se relacionar com as garotas e zerado em encontros que de repente passa a ser “vítima” do assédio de uma incrível e linda mulher, Molly. A família e os amigos de Kirk não acham isso nada normal, assim como o próprio Kirk que mal se agüenta de tanta expectativa. Disponível também em DVD.


Espero que tenha gostado das dicas. Esse foi o primeiro post e ao longo das "sextas-feiras" vou recheando cada vez mais com mais dicas e novidades, certo? Quer dar uma dica  do que fazer também? Comenta aqui no post!

2 de fev de 2011

O outro lado do "Efeito Facebook"

Como todo mundo (que vive no planeta Terra) já sabe, o assunto “Facebook” se tornou constante em vários portais de comunicação. O ‘boom’ do tema foi tomando proporções enormes, passando das livrarias e chegando até ao Oscar, com o filme A Rede Social – baseado no livro “Bilionários por Acaso”, de Ben Mezrich, o qual já resenhei aqui no blog. Mas, parece que apenas uma versão da história corre solta por aí; até agora.


No livro “O Efeito Facebook”, David Krikpatrick vem com uma nova visão da história que marcou o criador da rede social, Mark Zuckerberg, como um ‘vilão’, digamos assim. Com a colaboração do próprio Zuckerberg, Kirkpatrcik nos conta um outro lado da moeda... e eu mal posso esperar para saber de tudo! O livro sai pela Intrínseca esse mês e já está em pré-venda