27 de jul de 2012

Resenha | Ladrão de Olhos

Ao longo da vida nos deparamos com livros dos mais diferentes tipos. Tem aqueles mais simples, porém muito emocionantes; tem também aqueles mais adultos e politizados, com um  tema sério e crítico, entre outros. Passei por muitos estilos e ao longo dessa jornada sempre me surpreendo com aqueles contos mais voltados para crianças e pré-adolescentes. É fascinante ler um mundo de animais falantes, mágico, com castelos, reis e rainhas.

Apesar de clichê para muitos (não para mim), quando bem usado é de muito bom gosto. É o caso de Ladrão de Olhos: As Aventuras de Peter Nimble, livro de estreia do autor Jonathan Auxier. O autor resgata em sua obra aquela atmosfera que normalmente encontramos como por exemplo na obra As Crônicas de Nárnia, de C.S. Lewis, porém com uma escrita mais moderna e rápida, apesar das mais de 400 páginas. Até o estilo das ilustrações antes dos capítulos lembram a obra, mas apenas como inspiração, visto que a história é completamente diferente e com outros propósitos; mas foi muito bom sentir aquela sensação de viagem em um livro desse estilo.

Em inglês a obra ganha um título diferente: Peter Nimble and his Fantastic Eyes. O título em inglês soa mais interessante e combina mais com a obra, então não se engane muito com o título em português. O livro ganhou merecidas quatro estrelas devido a me surpreender bastante. Ele começa com Peter, um órfão cego e sofredor que vaga pelas ruas de sua cidade portuária roubando em busca de sobrevivência. Porém, ao se deparar com um estranho viajante pela cidade, encontra uma oportunidade de mudar de vida e partir em uma jornada que transformará completamente seu futuro. No mais não há de se contar muito pois as reviravoltas são tão empolgantes que qualquer detalhe a mais pode estragar, então tratem de ler.

O livro vai crescendo a cada capítulo e tomando formas diferentes do início da leitura. O bacana foi encontrar durante todas as aventuras pra lá de perigosas e emocionantes de Peter  
temas interessantes tanto para crianças quanto para adultos: valores são ensinados, novamente lembrando a obra de C.S. Lewis, e todos se encaixam perfeitamente na obra. Os personagens também são bem desenvolvidos, divertidos para uma história escrita para um público-alvo tão exigente. O bacana do livro é que ele diverte qualquer idade, apesar de ser focado para as crianças e pré-adolescentes. Além dos "olhos", a história de Peter Nimble também é fantástica!