30 de abr de 2012

Resenha | Em Chamas

ATENÇÃO: ESTA RESENHA CONTEM SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO DA SAGA.

Finalmente li Em Chamas. Novamente me surpreendi. Não costumo escrever resenhas logo após a leitura do livro, fico amadurecendo toda a história na minha mente e absorvendo o que realmente foi ou não relevante para mim, mas com esse livro nada disso foi preciso ser feito; de tal madura a história já seja. Suzanne Collins sabe dar mesmo um show de surpresas, pois, quem já leu Jogos Vorazes, pois mais que saiba que se trata de um livro distópico e político de certa forma, o tom da história muda, e pra melhor. Como já havia afirmado antes, os livros de Collins são feitos para serem analisados e sofridos. Não é um simples young-adult.

Retomando a história, nesse segundo livro temos Katniss e Peeta como vitoriosos do últimos jogos. Seus problemas com comida passaram e ambos vivem bem melhor, na Vila dos Vitoriosos dos Distrito 12. Mas há um problema: seus atos suicidas no final dos jogos resultaram num espírito de rebelião por toda a Panem, e  o Presidente Snow não está nada feliz com isso. Daí começa todo o desenvolvimento da trama, que passa de uma simples história para uma complexa crítica a todo o sistema em que vivemos.

Assim, somos apresentados a vários novos fatos de rebelião, reviravoltas e muitas, muitas surpresas. Não tem como não se surpreender com tamanha reviravolta na história! A cada página, respirava fundo tal era a tensão das passagens e nelas, muitas novidades. A autora não economiza nas descrições (o que ajudou e muito na visualização das cenas, antes em carência no primeiro livro) e o livro torna-se interessante a cada palavra lida. E aqui vai uma dica: leiam o mais pausadamente possível (se conseguirem!); ao longo da leitura você melhor visualiza as cenas a analisa todo o contexto do momento. É incrível.

Mas, é claro, como nem tudo é perfeito, o início do livro deixa um pouco a desejar. Nunca detestei tanto a Katniss durante a primeira parte do livro! Garotinha chata, hein? Mas graças à Deus nossa querida protagonista foi melhorando ao ponto de amá-la perto do final. Outra coisa que me chamou a atenção foi a maior presença de Gale, que finalmente se destaca,(mesmo que pouco em comparação a outros personagens) sendo protagonista de uma das cenas mais intensas de todo o livro. E sim, Cinna continua firme e forte ao lado de Karniss como seu estilita e grande amigo; e sua participação é per-fei-ta! Emoção pra dar e vender!

E é claro que somos apresentados a novos personagens. E eles não deixam nada a desejar aos que já conhecemos. Anotem esse nome: Finnick. Just saying.

Em resumo, Em Chamas sabe dar um show de surpresas. Por mais que eu ame o primeiro livro da saga, este torna-se superior por ser mais denso, complexo e adulto - e isso me fascina. O bacana é perceber que a história de Katniss cresceu e poderia simplesmente acontecer nos dias de hoje. Por isso é tão importante ler esse livro. Retrata aquilo que pode ser vivido, por isso tamanha a interação e envolvimento com a história. Decidiu ler? Prepare-se, respire bem fundo e que a sorte esteja sempre ao seu lado.

24 de abr de 2012

Promoção | Garota Replay

Estava com saudade de presentear vocês, galera! Bem, o prêmio dessa vez é o livro da Tammy Luciano, Garota Replay, e o kit está lindo. Você já pode ler a resenha aqui pra saber o que achei.
Pra participar é bem mais fácil que antigamente, graças ao novo gadget para promoções que eu resolvi usar. Então, corre pra participar.
Aqui vão as informações:
  • Ter endereço de entrega no Brasil;
  • Preencher o Rafflecopter com as entradas que você escolher;
  • O sorteio será feito no dia 7 de maio de 2012 e o resultado no dia seguinte;
  • O sorteado deverá responder ao e-mail em até 48h após a divulgação do vencedor.

23 de abr de 2012

Resenha | Garota Replay

O sonho de todo autor literário é ter uma grande ideia para desenvolver um livro. Quem sabe até uma saga, como aconteceu com J.K. Rowling e vocês-sabem-quem. Deve ser mágico o momento da concepção de uma história, seu desenvolvimento e desfecho, para no final observar a obra completa e ter orgulho das horas a fio de tanto trabalho frente ao computador, pensando, analisando, reescrevendo... Senti que a autora Tammy Luciano teve uma ideia bacana com a sua Garota Replay, criou uma história atual, curiosa, porém o desenvolvimento deixou a desejar em muitos momentos.

Conhecemos Thizi e logo no início da leitura vemos que sua vida está um tanto agitada. Seu atual namorado é um mulherengo nato (pra não chamar de outra coisa), seu melhor amigo tenta abrir seus olhos pegando o cara no flagra numa boate carioca e, pra piorar tudo, seus pais estão sempre ausentes, em viagens ao redor do mundo. Louco, não? Opa, esqueci que agora ela anda vendo pelas ruas uma cópia sua (a replay do título) e não está lidando muito bem com outra (e melhorada) versão de Thizi andando pelo Rio de Janeiro. 

A trama pode soar boba ao princípio, porém a autora aprofunda a história e eu achei isso bem bacana. Não posso contar muito porque posso revelar algum spoiler indevido, mas ao ler já tinha adivinhado que "isso (a grande sacada do livro)" iria acontecer. Pra mim foi previsível, mas para você caro leitor e leitora, pode ser uma grande revelação, então não vou estragar nada, ok? Ao ver a personagem em conflito lidando com todas essas questões que, para nós, podem ser simples, corrigidas um uma boa festa, quem sabe, vi que Thizi foi bem humaizada e vê-se claramente um depoimento indireto da própia autora (Tammy, por favor, quero saber se tem um pouco de você na Thizi!).

Bem, senti também que o livro quer nos passar uma mensagem meio que de auto-ajuda. É, eu não gosto muito do estilo literário e mal leio (ok, passo longe mesmo) mas o modo como Tammy colocou foi simples, apesar de brusco em vários momentos, como se parasse a história e estivéssemos lendo Augusto Cury. Sendo um livro voltado para o público jovem (público esse que, aos meus 18 anos, não me sinto mais incluído) achei que Tammy fez um trabalho regular, sem muitas surpresas, mas não sofrível ou ruim de ler; só não foi aquilo que eu esperava. Tammy tem a essência da boa escrita, dá pra sentir principalmente nas ultimas páginas e em cenas mais divertidas e românticas (a cena de Thizi no quarto deitada de mãos dadas com **** é linda!), mas acho que falou aquele elemento "X" do sucesso e do "ótimo livro". Vou ficar de olho na autora, potencial não falta.

17 de abr de 2012

Resenha | Tudo Pode Mudar

Vou confessar algo que muitos já sabem e, certas vezes, me julgam por isso: estou sempre a procura de novidades. Algo fora do usual, do simples, do normal. Seja na música, filmes e claro, livros, o estranho me fascina e a novidade é empolgante e me dá a sensação de que a criatividade ainda não acabou. Por que me julgam? Vou explicar: porque tento fugir do usual, do clássico e digamos, tento ousar. Ao ler Tudo Pode Mudar, vi claramente um livro capaz de me chamar a atenção por ter uma fórmula comum e simplória, mas quem nos surpreende de modo extremamente positivo. E como surpreende.

Pra início de conversa, é uma das minhas melhores leituras até hoje no blog. Sério, o livro me cativou de uma forma que há muito tempo eu não sentia com obras desse gênero. O autor Jonathan Tropper está de parabéns; sua escrita é impecável e nos faz refletir com suas frases extremamente bem elaboradas e marcantes. As "quotes" são para dar e vender, pode acreditar. Se você achava (pela capa, sempre culpada de julgamentos prévios) que o livro se tratava de auto-ajuda ou algo do tipo, está totalmente enganado. É um romance lindo, engraçado, empolgante, surpreendente - como um bom filme. As relações familiares estão belíssimas e emocionantes e, claro, o romance não nos deixa não mão. Passagens quentes e intensas pra que curte podem ser encontradas. No mais, ou você chora de rir ou chora de emoção e drama. Tudo flui naturalmente.

Se vocês checarem o meu "Tempo de leitura" no topo da resenha, vão encontrar "7 dias". Posso explicar. Além de ter pouco tempo para ler, não conseguia terminar porque NÃO queria terminar! Sério! Não que a história tenha um objetivo ou um clímax que é esperado desde o início. Não. O livro transcorre de modo inesperado o tempo todo. Você não sabe o que esperar das decisões de Matt e seus dilemas pessoais. Os capítulos curtinhos também ajudam a dar boas respiradas e mudar de cena rapidamente, sem ser apressado ou disperso; o autor é completo: faz piadas inteligentes, descrições impecáveis e conta a história de um lado íntimo que só sendo o protagonista pra sentir. Podemos nos conectar com Matt, sentir suas emoções, tentar resolver seus dilemas com seu pai ausente viciado em viagra, seus irmãos "diferentes", seu grande amigo rico e de luto eterno, seu estranho amor pela ex-mulher de seu melhor amigo já morto e seu noivado perfeito e totalmente imperfeito ao mesmo tempo.

Em resumo, Tudo pode mudar me surpreendeu e com certeza vai surpreender mais leitores. Espero! Queria muito que todos tivessem a oportunidade de ler essa obra e enxergar novos modos de ver literatura moderna e divertida, sem deixar de ser profunda e com conteúdo. Jonathan me lembrou em vários momentos um 'Nicholas Sparks", porém mais jovem e ousado. Já soube que o livro vai virar filme, então vamos torcer para que Jonathan seja mais um grande sucesso e que venham mais obras. Virei fã.

1 de abr de 2012

Conheça | Starters, novo sucesso distópico

A distopia visivelmente está em alta na literatura. É claro que o tema nunca deixou de ser abordado, mas com os recentes sucessos de Scott Westerfeld e sua série Feios e, claro, o fenômeno de Suzanne Collins com a trilogia Jogos Vorazes os leitores ficaram mais interessados e atentos às novidades relacionadas ao tema. Um livro que vem dando muito o que falar nos EUA nesse momento é Starters, primeiro livro da autora Lissa PriceA obra foi lançada no dia 13 de março desse ano e as críticas foram bem positivas: a co-autora de Dezesseis Luas, Kami Garcia disse que "os fãs de Jogos Vorazes vão amar".

O livro tornou-se a próxima aposta para os fãs de distopias. Seu sucesso é notável que recentemente seus direitos foram leiloados em Hollywood, já na intenção de um filme, com o roteiro já escrito e adaptado pela própria autora. O livro já foi vendido para 21 países como Rússia, Reino Unido, França, Alemanha e, claro, Brasil. A editora com a missão de publicação por aqui será a Novo Conceito, com previsão para o ano que vem.

O booktrailer do livro está sendo exibido em todas as sessões de Jogos Vorazes nos EUA e em algumas salas de cinema o primeiro capítulo está sendo distribuído aos fãs. Confira o booktrailer e sinopse de Starters:



Sinopse: Em um mundo devastado pela guerra e genocídio, tornar-se um outro alguém agora é possível. Callie tem 16 anos e descobriu o Banco de Corpos, onde os adolescentes alugam seus corpos para os idosos que querem ser jovem de novo. Quando seu neurochip apresenta um defeito, ela acorda na mansão de sua rica locatário e descobre que ela está saindo com o neto de um senador. É uma nova vida, como um conto de fadas, até ela descobrir o mortal plano de sua locatária: um assassinato.