26 de set de 2011

Sorry, folks!


Hello, folks! Bem, esse post rapidinho é pros leitores que seguem, leem, e curtem o blog. Como vocês que estão visitando aqui, mesmo que em pouquíssima quantidade, já devem ter percebido, o blog está super desatualizado. E bota super nisso! Desde que fui a Bienal do Rio parece que o mundo andou conspirando novamente contra mim e o senhor Cronos não anda colaborando nem comigo e nem com o blog. Poxa, né? Eu cheio de novidade pra contar, promoções pra fazer, layout pra reformular e... cadê, né? Enfim, só quero deixar claro que o blog não está abandonado e que estou me esforçando para tudo voltar ao normal, for real. Ah, e estou com várias ideias bem bacanas pra cá, só estou precisando de um tempinho e a doce paciência de vocês, ok? O blog é um sonho realizado pra mim e cada comentário que eu leio me enche de alegria, vocês não tem noção! Obrigado mesmo! E, por favor, aguardem as novidades que eu espero que gostem. Tem layout novo, servidor novo, tudo novinho! Troçam para que tudo dê certo e quem quiser colaborar com alguma coisa é só entrar em contato por e-mail. Ah, e preparem-se quem promoção é o que não vai faltar, haha.

xoxo
Israel.

14 de set de 2011

Livros substituem... tablets!

Todos nós já percebemos que os meios de leitura estão mais modernos. Os tablets estão aí para tomar o lugar dos livros e pouco a pouco mais procurados. As facilidades que as novas tecnologias nos proporcionam são impressionantes (desde a capacidade de armazenamento a mobilidade) e os preços tendem a baixar facilitando o acesso. Porém, há os conservadores do bom e velho hábito de pegar num livro, folheá-lo, sentir sua textura; diferente do que acontece com as obras lidas num Kindle, por exemplo. No momento eu sou um desses conservadores, mas posso mudar de ideia um dia, quem sabe.

Pensando nisso, resolvi compartilhar com vocês um vídeo que ironiza os tablets e a sua "tecnologia" imposta a uma sociedade meramente consumista e carente de novidades positivas. Com vocês: o LIVRO.

                           

10 de set de 2011

Resenha | Academia Knightley


Uma boa parte dos novos autores voltados para o estilo young adult, suponho eu, sonham com o grande sucesso internacional nesse ramo; afinal seria o máximo  dar palestras, noites de autógrafos, ter o apoio dos milhares de fãs, e até uma adaptação cinematográfica – tudo isso preenchendo muito bem seus bolsos, claro. O fato é que para se fazer sucesso é preciso se diferenciar – tanto em sua obra como na maneira de abordar muitos temas comuns. Bem, um exemplo vivo de sucesso pleno e grande revolucionária do mercado literário internacional nessa seção é J.K. Rowling, a “mamãe” de Harry Potter. Daí, você já sabe... Muitos se espelham em seus ídolos, também querem fazer sucesso, e acabam, digamos que, não se diferenciando.

A obra de Violet Haberdasher, Academia Knightley é um exemplo desse tipo de obra. O livro conta a história de Henry Grim, um mero criado de um colégio elitizado que através de aulas secretas, com a ajuda de um professor amigo seu, tornou-se um grande estudante capaz de superar a todos os outros alunos no exame para a Academia Knightley. Aprovado, Henry é aceito, mesmo depois de muitos problemas devido a sua classe social. Logo ao chegar à Academia visando estudar e se tornar um grande cavaleiro de seu país, ele percebe um forte preconceito partindo de seus colegas, e até professores. Com o apoio de seus amigos também plebeus Rohan e Adam, Henry tenta sobreviver os ataques de bullying vindos de todo lado. Não só isso, o trio também sofre uma série de sabotagens e armações anônimas que os fazem chegar cada vez mais perto da expulsão.

Resumos a parte, lendo esse livro encontramos muitos personagens que nos fazem lembrar diretamente a obra de Rowling, tanto por suas características ou até pelos nomes parecidos (ex: Henry – protagonista de Academia Knightley / Harry – protagonista da saga HP), mas isso é uma faca de dois gumes. Por um lado é uma obra muito agradável de ler, os personagens são bem desenvolvidos, os diálogos são bem construídos, por mais que alguns sejam totalmente desnecessários, e a história consegue sair do estilo “garoto humilde é o escolhido para salvar o mundo” naturalmente e de um modo bem interessante: conseguimos humanizar os personagens e tratá-los como se fossem nossos amigos. O começo é bem empolgante, na medida em que vemos Henry superar as adversidades impostas e tudo com grande inteligência e racionalidade. Porém, é bem infeliz ver uma obra digna de notas excelentes, no seu desenvolvimento, cair no óbvio e acabar parodiando uma obra de sucesso. Lamentável, mas não é algo impossível de se consertar. O livro é a primeira parte de uma trilogia, sendo sua segunda parte já publicada lá fora. Tendo plenas esperanças de que Academia Knightley não é um caso perdido.

Ao longo da trama dá para sentir a autora tentar se distanciar do cronograma já planejado para a escrita muitas vezes, e isso enriqueceu muito o livro, mostrando certas reviravoltas dignas de aplausos. O ápice do livro chega a ser fraco, mas é totalmente crível, tendo todos os pontos em aberto respondidos. Abre-se uma linha bem mais interessante para a continuação, o que deixa o leitor interessado em como essa história vai continuar e não apenas como vai terminar. Vale também ressaltar a influência histórica na obra, sendo pincelada com temas como o nazismo e o comunismo. O bullying também é fortemente abordado, mas as soluções não são apresentadas, dando margem à vingança. No mais, Academia Knightley segue um padrão conhecido de sucesso, tenta se desviar dele corajosamente em alguns momentos, mas acaba se entregando ao óbvio. É agradável, e infelizmente não traz nada de surpreendente. Estou com os dedos cruzados para uma boa continuação.

9 de set de 2011

Confira o poster de Young Adult


Eu já tinha ouvido falar desse filme tem um tempinho já mas nada tinha saído ainda sobre ele e eu resolvi não comentar aqui no blog. Mas para a minha felicidade saiu nessa semana o primeiro poster de Young Adult novo filme da Charlize Theron. Bem, vocês perceberam como o filme se chama não é verdade? É isso mesmo, o filme vai falar sobre a literatura jovem-adulto porém de um modo bem diferente. Confira o poster, que imita a capa de um livro:


No filme, Charlize vive Mavis Gray, uma escritora de livros jovem-adulto que volta para sua cidade-natal em busca de inspiração para voltar a fazer sucesso e retomar um romance mal resolvido do colegial. Quando sente que as coisa não serão tão fáceis quando ela imaginava, ela faz uma parceria um tanto estranha com um antigo colega que parece também não ter superado os tempos de escola.

Além da linda Charlize, Patrick Wilson (Menina Má.com), J.K. Simmons (Homem-Aranha) e Elizabeth Reaser (Crepúsculo) integram o elenco. O roteiro é de Diablo Cody, a mesma de filmes de grnade sucesso como Juno e Garota Infernal. O filme estreia nos cinemas norte-americanos dia 16 de dezembro e no Brasil dia só dia 3 de fevereiro de 2012. Então, quem já está empolgado?