8 de mai de 2012

E a corrida (necessária?) continua...

Meses planejados, datas marcadas e assuntos a resolver sistematicamente são sempre um  problema pra mim; e isso, claro, reflete no blog. Sim, tento planejar ao máximo os prazos de resenhas, posts (quando vem a inspiração), mas sempre o Kronos vem e me desorganiza todo. Triste, mas compreensível, afinal não somos máquinas. Peguem leve comigo, ok?

Semana passada comentei que iria postar a resenha de Um Homem de Sorte aqui no blog, o que (ainda) não aconteceu. Realmente tenho me esforçado ao máximo para ler mais rápido, porém o tempo curto (faculdade, te amo! ¬¬) e a minha desorganização acabou atrapalhando tudo, e... deixando as desculpas de lado, veio aquela leve, mas constante, reflexão: por que a pressa?

Para mim, a leitura tem que ser uma das coisas mais agradáveis do meu dia. E fazer coisas  agradáveis com pressa não é o meu forte. Já dizia o ditado: A pressa é a inimiga da perfeição. Sim, tenho percebido muito isso. Leituras rápidas demais me estranham. Mas calma, antes que você que lê um livro em horas se sinta ofendido: cada um tem o seu ritmo de leitura; lentos ou rápidos, não cabe a mim julgar no geral. Mas, para o meu estilo de leitura, é totalmente inviável. Ao ler um livro analiso cada detalhe, aproveito cada frase bem escrita, me emociono com cada passagem. E isso requer um tempo maior.
Mas e os lançamentos desenfreados? A cada mês somos bombardeados com 20, 30 lançamentos no mercado (e olhe lá) e a pilha de livros só faz aumentar. O "vou ler" do Skoob fica cada vez mais cheio e o desespero bate a porta: será que vou conseguir ler tudo isso logo? Daí você se desafia, lê os livros numa velocidade ímpar, fica por dentro das novidades, consegue atingir as metas estrambólicas, e ao final, não sente absolutamente nada, só o vazio. Será que valeu a pena essa corrida louca de "ler primeiro" ou ler tudo para "estar por dentro" e em contrapartida o livro não te modificar, influenciar, mover, alterar, incitar seus sentimentos e pensamentos?

Bem essa era uma das minhas dúvidas e creio que cheguei a alguma conclusões, repetindo, pessoais. Minhas leituras existem para modificar, influenciar, mover, alterar, incitar e desenvolver meus sentimentos e pensamentos; não apenas para atualizar o blog ou estar participando de rodinhas de conversas. O importante é ser você e ler aquilo que se satisfaça no seu momento e, principalmente, no seu tempo. Sem pressão. Aproveite a viagem, pois ao final são as experiências que valem, e não a quantidade de lugares por onde você passou.

P.S.: A resenha de Um Homem de Sorte ainda sai essa semana, se tudo der certo!