17 de jan de 2012

Resenha | Confissões de um turista profissional

Quando o assunto é viajar, eu até que manjo bem da conversa. Não por quantidade de destinos ou milhas rodadas, mas sim a prática, as dicas básicas e detalhes que acompanham todo e qualquer pacote de viagem. Como já viajei bastante, me identifiquei com várias das crônicas (não todas, claro - principalmente se tratando das viagens internacionais) que encontrei no livro. E até que foi divertido. Em Confissões de um turista profissional, o jornalista Kiko Nogueira nos apresenta a Jota Pinto Fernandes, seu alter ego chato, porém sincero; nos mostrando que nem toda viagem é aquilo tudo que aparenta ser.

O livro curtinho de 96 páginas vem recheado de textos (ao todo, 37) antes publicados na coluna O Turista Razoável, da revista Viagem e Turismo, todos assinados por Jota Pinto Fernandes. O autor relata em curtos, porém diretos, parágrafos curiosidades, reflexões e boas histórias de suas viagens, nos fazendo perceber que nem tudo são flores em uma "volta ao mundo por 1 ano" ou um "mochilão na Europa"; porém confirma que toda viagem pode ser sim divertida, intensa e inesquecível.

Jota Pinto tem uma particularidade que às vezes funciona e às vezes não nos seus textos: a irrêverência. Há textos divertidos e bem engraçados como "Ráu Mãtch?", "Made In Brazil", "Viajantes contra Turistas", entre outros, que ao tempo em que nos apresentam fatos e curiosidades cômicas, também criticam  e alfinetam o governo, o sistema de turismo, o serviço prestado... tudo na base do falso elogio, bem inteligente. Mas outros textos nos mostram ser limitados a sua falta de graça e o excesso de sarcasmo - como em "Baixo custo e baixo nível" - ou devido à data de publicação, por serem específicos demais em  acontecimentos recentes, na época - temos "Selva de Pedra". como exemplo. A falta de noção ou os excessos do alter ego tornam certos textos desnecessários e irritantes, mas nada que não possa ser compensado com outras boas doses de humor nas seguintes.


Queria também destacar o cuidado da diagramação e finalização do livro - ambos impecáveis.  A cada novo texto, acima do título vem uma ilustração simples, porém inteligente e criativa; um dos detalhes que fazem toda a diferença na publicação. Sempre ao final de cada leitura, voltava a folha, via a figura e dava um sorriso de tão interessante que era. No mais, Kiko Nogueira é experiente, tem bases sólidas no que fala, critica e elogia. Recomendo a todos que amam viajar e sabem dos "perrengues" que nós, turistas ou viajantes, passamos quando "aquele hotel em Gramado não era lá essas coisas" ou quando "Porto de Galinhas é um farofal  interminável" e também aos que vão viajar (ou pretendem!) e ficar a par de detalhes como passeios em Paris, ilusões em Orlando, curiosidades de Cuba... e até os lanches do avião (quando tem, claro)!