9 de jun de 2012

Caçadores de "modas"



Todos nós temos gostos pessoais e muitos desses gostos nos definem, sejam fisicamente ou intelectualmente. Sim, esses tais gostos se refletem em nós seja à primeira vista ou ao abrir a boca para falar algo; e o bacana é que cada ser humano tem o seu, tornando-se autêntico. Mas não é sempre assim que a banda toca.

Dando uma checada pela blogosfera literária, seja nos blogs ou também nas contas de Twitter em geral, nota-se claramente uma busca louca e desenfreada de o que chamamos "moda". Moda, para os matemáticos é aquele valor que aparece com mais frequência em um dado cálculo; ou seja, algo que se repete e que está em todo lugar, não importa para onde você corra. Voltando ao meu ponto, todos estão buscando ler aquilo que está em alta, que aparece em revistas e jornais, que promete algo que ninguém sequer sabe ainda.

E é aí que eu me pergunto: onde está o gosto pessoal? Onde está a autenticidade? É um ponto perigoso este no qual estou entrando, mas é algo que observo não é de hoje e realmente não entendo. Não entendo como muitos passam a venerar livros que nem chegaram a ser publicados ou lidos. Não entendo qual razão tem o fato de todos lerem a mesma coisa e terem as mesmas opiniões, sem debate ou crescimento de ideias. Não, não consigo entender.

Portanto, leitores em geral, blogueiros ou não: procurem ser autênticos. Não sejam meros caçadores de modas. Busquem leituras que os enriqueçam. Fucem, pesquisem, leiam resenhas, corram para sebos se preciso, mas por favor, não leia algo que está em alta simplesmente por está em alta ou que estará em alta daqui a pouco tempo e no final das contas você pagar de "cool". Não estou afirmando que parem de ler as novidades ou algo que está chamando a atenção, porém busquem suas verdadeiras motivações para ler, busquem a essência da curiosidade genuína.

Nenhum comentário:

Postar um comentário